Benguela

Loading...

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

É um escritor que muito escreveu e escreve sobre Angola e seus saberes.
Quem é que não se lembra das "Aventuras de Ngunga" e outros?
Actualmente é professor de Sociologia na Faculdade de Arquitectura de Luanda, Pepetela continua escrevendo.........e escrevendo para que viajemos na trama dos romances.
Leia e viaje também com Pepetela.

Memórias

Quem não se lembra da Cidade das Acácias?
Quente... Manhãs frescas e alegres... Um povo acolhedor...

Lembro-me de acordar com as peixeiras na rua, apregoando o seu peixe...
As crianças a irem para a escola, com os seus bancos, porque não havia secretárias na escola. Mas sempre com uma sorriso nos lábios!

Lembro-me das quitandeiras a venderem a fruta e os legumes de porta em porta.

E as ruas...as ruas eram o nosso parque de diversão. Era aqui que brincávamos à macaca... à garrafinha... às escondidas...

Lembro-me que ao sábado a minha mãe me obrigava a ir à catequese, porque, caso contrário, não podia ir para a praia.
Aos domingos, as manhãs eram calmas, quentes, mas frescas. A rotina era a mesma: de manhã ia à igreja e depois ia para a praia. Só voltávamos ao fim do dia. Se há noite houvesse alguma festa de um amiguinho, iamos; se não houvesse, ficávamos na pendura, a conversar até tarde.

Benguela... Um dia voltarei!

Minha cidade...!

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Sabores de Angola (cont.)

Moamba de galinha

Ingredientes:
1 galinha caseira
600 grs de dendéns
300 grs de quiabos tenros
gindungo q.b.
sal q.b.
1 dl de azeite
2 dentes de alho
2 cebolas médias
350 grs de abóbora carneira

Confecção:
Depois da galinha arranjada e lavada, corta-se aos bocados e tempera-se com sal, os dentes de alho e o gindungo pisados. Põe-se a galinha num tacho com a cebola picada e o azeite e leva-se ao lume a alourar. Entretanto coze-se os dendéns, assim que estiverem cozidos, escorre-se a água e pisa-se para separar os caroços. Adiciona-se cerca de 1 litro de água morna, aos poucos espreme-se bem e coa-se. Junte esta à galinha e deixe cozer, misturando a abóbora cortada aos cubos. Por fim junte os quiabos e deixa-se acabar de cozer. Sirva a muamba acompanhada com funge.


Cidade das Acácias Rubras


Identifica os frutos






Perder-se na noite



À noite, para um prego no prato e umas cervejas, com futebol em TV de plasma, nada melhor do que as esplanadas do Bar Tropical ou do Bar Estrela. O Bar Germânia e o Escondidinho são também locais a não esquecer. Para um gelado, o destino correcto é o Bar Gelataria Tropic, frente ao Bar Estrela. Vale a pena fazer 34Km, até à Restinga do Lobito, para jantar no Restaurante Zulu, com um ambiente previlegiado. Sábado e Domingo há que dar uma salto à Baía Azul para almoçar no Kimbo.

Um dia em Benguela


Às 7 da manhã a Pastelaria Flamingo está cheia. Pão quente e uma pastelaria variada, dele o local ideal para tomar o pequeno almoço.
No Restaurante Nónó, de Leonor Carrinho, frente ao Estrela 1º de Maio, é possível comer a peso ou "à la carte" comida variada e bem confeccionada. Para quem preferir comida caseira, portuguesa, à descrição, o local certo é o Restaurante Moreninha, junto à Rádio Morena Comercial.
A Residencial Sombra, a 250 metros da Praia Morena, dispõe de um ambiente muito agradável e arejado, boa comida e um óptimo serviço. Também é possível almoçar na Pensão Contente, preferida de muitos, ou comer a melhor muambada de Benguela no Tan-Tan, junto ao Cine Teatro Monumental. Para tomar o café, o local recomendado é o Café da Cidade, circuito obrigatório para esticar as pernas depois de um bom almoço.